viagens

≈ Especial Paris! | Dia 2

19:47 Isabela Libório 0

 No 2º dia - 21 de Outubro -, nossa viagem começou de verdade e acordamos super ansiosos - e com dificuldade, por causa do cansaço e fuso-horário - pra começar a conhecer Paris. Nosso café da manhã do hotel não era muito variado, eu acabava comendo croissant com um creme de queijo e chocolate quente todos os dias, haha. 

 O bom do nosso hotel ficar próximo à Champs-Élysées é que dava pra ir à MUITOS lugares andando e era assim que pretendíamos ir para o Museu do Louvre, mas estávamos tão atrasados - e o caminho era meio longo - que acabamos pegando um táxi no desespero. Com certeza, não é o melhor meio de transporte em Paris e eu achei que erramos em fazer isso, mas saiu em conta por causa da proximidade. 

 Precisamos passar na agência Paris City Vision para pegar nossos ingressos, que fica na Rue de Rivoli - um lugar enorme e cheio de lojas muito muito maravilhosas, falarei mais disso ainda -. Foi tranquilo, bem rapidinho e a funcionária falava português. Ela ainda nos deu a opção de alugar um aparelhinho de áudio em que poderíamos ouvir sobre alguns quadros, esculturas e locais específicos do museu, achamos bem legal e resolvemos alugar. Vale a pena e você escolhe sobre o que quer ouvir usando um folheto, pena que tem poucas obras disponíveis.



 Andamos um pouco e chegamos ao lindíssimo Jardim das Tulherias - Jardin des Tuileries -, o mais antigo jardim de Paris, entre o Louvre e a Praça da Concórdia - Place de la Concorde - e que pertencia a um antigo Castelo. Até hoje eu não consigo acreditar no quão lindo é o Outono em Paris, ou, simplesmente, o quão linda é Paris. Ficamos um tempinho ali tirando muitas fotos e tentando chegar ao Museu através de um mapa que recebemos - eu, meu pai e minha mãe somos horríveis quando se trata de localização, haha -. 
Primeira vez que vimos a Torre Eiffel, mesmo só sendo um pedacinho.
 Lembro de ter me arrepiado toda, quem não, né?
Minha mãe me fotografando enquanto eu fotografava tudo.

 Finalmente conseguimos nos localizar e encontramos o Arco do Triunfo do Carrossel - Arc de Triomphe du Carrousel -, que fica próximo ao Museu do Louvre. É aí que você tem aquele choque por causa do tamanho do lugar. O museu é ENORME, é algo surreal. Ele forma algo como um "U" e foi incrível ver todas aquelas pirâmides na minha frente pessoalmente.

O Arco do Triunfo do Carrossel.

 E foi aí que, finalmente, chegamos a ele. O enorme e maravilhoso Museu do Louvre. Esse lugar é cheio de história, que começou em 1191, quando ele era um forte para proteger Paris dos vikings, muito tempo depois o prédio foi construído e teve outras finalidades antes de passar a ser um museu. 

Ele é muuuito maior e cheio de pedaços do que aparece nessa foto.

 Encontrar a entrada foi meio complicado, porque havia algumas filas enormes e que se encontravam. Perguntei a 3 funcionários diferentes - naquele esquema de iniciar em francês e, qualquer dúvida, perguntar se falam inglês, hehe - e eles falavam a mesma coisa, acabamos entrando numa fila qualquer e confirmamos com as pessoas que estavam ali se aquela era mesmo a correta. Entramos pela pirâmide principal, a grande e de vidro que vimos logo que chegamos, mas ele possui 3 outras formas de entrar. Foi rápido, apesar da quantidade enorme de pessoas.

Minha mãe mostrando nossos ingressos.

 Quando você entra, encontra alguns caminhos diferentes pros quais pode se dirigir. Tem 3 seções principais: Sully, Richelieu e Denon e, dentro delas, algumas muitas coleções. Dentro do Louvre, tem tudo o que você imaginar: pinturas, esculturas, desenhos, antiguidades - gregas, romanas, egípcias... -, arte decorativa... É de enlouquecer, você precisa de, pelo menos, uma semana pra poder visitar o lugar inteiro com detalhes. 

 Escolhemos um lugar para ir - se não em engano, foi o Denon, porque tinha algo sinalizando que ali tinha a Monalisa, então minha mãe quis logo ir - e começamos nossa aventura inesquecível. Uma coisa chata do frio: ter que tirar os casacos em lugares fechados e ter que ficar segurando, estava muito quente lá dentro.

 Os tetos do museu são, simplesmente, SURREAIS. Saí tirando fotos de muitos e entrava em todas as salas olhando pra cima, haha. Não vou postar todas as minhas fotos aqui, porque são muitas, mas preparem-se pra ver várias mesmo assim.


 Uma observação que preciso fazer: eu fiquei impressionada com a quantidade de orientais que vimos na França, principalmente chineses. Todo lugar pra o qual você olhava, via um grupo deles e eu achei as japonesas TÃO fofas. Porém, a maioria dos chineses era bem mal-educada - foi o que muita gente que mora lá nos disse e pudemos perceber também -, eles chegam em montes e adoram empurrar sem se desculpar ou pedir licença. Odeio generalizações, mas falei da maioria que vi lá, achei isso interessante, haha.

Olha o tamanho desse quadro!! 

Reconhecem esse? 


 Olha ela aí, gente. Que confusão pra ver essa moça, viu? Muita gente empurrando, chinês pra todo lado. Por isso a foto ficou tremida, muito zoom e instabilidade. É aquela coisa que todo mundo fala: o quadro é bem pequeno, meio decepcionante mesmo. Eu estava preparada por conta de ter ouvido muita gente dizer isso, mas foi emocionante de qualquer jeito. O que mais adorei ver mesmo foram os quadros enormes e as esculturas. 

Minha foto mais queridinha :3 Tirei de dentro de um dos pavilhões.

 Nesse local, vimos várias pessoas sentadas no chão desenhando as esculturas e eu fiquei sonhando com isso, hehe. Imagina só, seu professor pedir pra você ir até o Louvre pra rabiscar/fazer croqui do que ver por lá. Deve ser tão chato, né? Que sonho. Fiquei doida pra ver os desenhos, mas não sou tão cara-de-pau pra pedir...


  Ficamos 6 horas sem parar andando pelo Museu, mas só conseguimos ver, sei lá, 1/4 dele ou algo assim. É encantador, lindo demais, cheio de história e é até difícil de absorver tanta informação. Vimos muitos quadros e esculturas famosas, objetos de civilizações extremamente antigas, réplicas de cômodos de reis, mas claro que não deu pra ver tudo o que queríamos - como a Vênus de Milo e o quadro A Liberdade Guiando o Povo -. Achei que encontraria muitas pinturas de Van Gogh, porém, não consegui ver uma sequer, depois descobri que elas ficam no Museu d'Orsay, infelizmente não deu tempo de visitar. Mesmo assim, não tenho do que reclamar, foi inesquecível.

 Almoçamos por lá mesmo, apesar de não ter sido lá muito apetitoso. Queria ter ficado mais no museu, mas tínhamos que aproveitar o nosso dia fazendo outras coisas, então saímos de lá e passamos na lojinha de souvenir do lugar. Tinha tanta coisa linda e variada lá, fiquei até meio azoada, hehe. Como, quando convertido, o preço ficava caro demais, escolhi duas coisas pra mim.

Minha mini Maria Antonieta e livrinho do Louvre. ^-^ 

O livro se abre todo, essa aí é só uma das muitas partes e tem desenhos 
naquele estilo pop-up. E ainda tem coisas no verso! Uma lindeza.

 Dali, voltamos para a Rue de Rivoli e ficamos passeando e olhando algumas lojas - principalmente de souvenir -. Eu já fiquei procurando por livrarias quando, finalmente, encontrei uma lindíssima que estava com a vitrine cheinha de livros da Alice no País das Maravilhas.


 Fiquei super feliz e, claro, entrei na mesma hora. Tinha cada livro maravilhoso lá dentro, de capa dura, super coloridos e que estão na minha lista de desejos. Muitos livros em francês, mas, também, livros em inglês. Pena que não podia tirar fotos lá dentro, mas imaginem aquelas capas de tecido, coloridas, outras duras com jacket... Me controlei demais e não comprei livros lá nesse dia, mas depois voltei pra compensar, hehe. Pena que os preços não ajudavam...

 Estávamos tão cansados que não demoramos muito de voltar ao hotel. Depois, só passamos em um mercado ali perto chamado Monoprix, tínhamos visto na internet que um dos melhores e mais completos da cidade. Quando entramos, entendemos o que queriam dizer, tem realmente muita opção e a gente queria provar tudo. Escolhemos alguns doces - até pra trazer pro Brasil -, sanduíches pro jantar e bebidas, foi muito divertido e não nos arrependemos de não ter jantado em um restaurante, economizamos e conhecemos muita coisa nova.

 Fomos pros nossos devidos quartos descansar e o dia acabou muito bem, deu pra descansar bastante e se preparar por outro dia, que vai ficar pra um próximo post! 


Espero que entendam que esse tipo de post de viagem é feito pra compartilhar dicas e experiências, minha intenção nunca é de ostentar, até porque odeio esse tipo de coisa.


Leia outro post sobre a viagem:

Dia 1 - Chegada, o Arco do Triunfo e a Champs-Élysées

Ei! Não esquece que seu comentário é muito importante, viu? É uma forma de saber o que mais agrada - ou não - quem lê o blog, além de que adoro saber as opiniões de quem visita sobre o assunto falado. 

0 comentários:

Comente para que eu possa saber se gostou ou o que devo melhorar! Dê sua opinião sobre o assunto falado também, se quiser. Sinta-se à vontade. ^-^